terça-feira, 5 de abril de 2016

O que é Influenza A/H1N1

O que é Influenza A/H1N1 (gripe suína)?

É uma doença transmitida por um novo tipo de vírus da mesma família que transmite a gripe. A partir de agora você vai ouvir na televisão, rádio e ler nos jornais o nome Influenza A/H1N1 e não mais gripe suína.

Como é transmitida a Influenza A/H1N1?

É transmitida de pessoa para pessoa especialmente através de tosse ou espirro. Algumas pessoas podem se infectar entrando em contato com objetos contaminados. Não há registro de transmissão do novo subtipo da Influenza A/H1N1 por meio da ingestão de carne de porco ou produtos derivados.

O que é transmissão sustentada?

Significa que o vírus já circula livremente no Brasil, sendo transmitido de pessoa para pessoa, sem que uma delas tenha viajado para países infectados ou tenha convivido com indivíduos contaminados.

Quais são os sintomas da Influenza A/H1N1?

São sintomas semelhantes aos da gripe comum: febre alta e tosse, mas em alguns casos também podem aparecer: dor de cabeça e no corpo, garganta inflamada, falta de ar, cansaço, diarréia e vômitos.

A Influenza A/H1N1 pode apresentar complicações?

Como qualquer gripe pode evoluir para sinusite ou até para um quadro pulmonar.

Quais são os sinais de agravamento?

Aparecimento de falta de ar, dores no peito, tontura, confusão mental, fraqueza, desidratação (somente um profissional pode identificar). Crianças pequenas podem ter batimento de asa do nariz (dificuldade respiratória) e se recusar a ingerir líquidos.

Qualquer pessoa pode pegar a Influenza A/H1N1?

O mundo está em alerta porque hoje em dia muitas pessoas viajam para diversos países. Se você chegou de uma viagem internacional e nos últimos 10 dias da sua chegada surgirem sintomas como febre alta (maior do que 38°C), tosse, dor de cabeça, dor no corpo, garganta inflamada, procure um serviço de saúde e informe sobre sua viagem. O médico avaliará se você é um caso suspeito ou apenas um caso em que deve ser acompanhada a evolução dos sintomas.

Qual é o tempo de incubação?

3 a 7 dias é o tempo para aparecerem os sintomas depois da infecção. O contágio de outras pessoas aparece até 7 dias após o início da doença.

Se eu pegar a doença, tem tratamento?

Sim, existe remédio por via oral, indicado pela OMS que combate o vírus da Influenza A/H1N1. Outras medidas como repouso, ingestão de líquidos e boa alimentação podem auxiliar na recuperação da sua saúde. Ainda não temos uma vacina contra a Influenza A/H1N1. Os grandes institutos de pesquisa do mundo já estão trabalhando na produção de uma vacina. Os pesquisadores acreditam que será possível ter uma vacina para a Influenza A/H1N1 ainda em 2009.

Qual o critério para receber o medicamento?

O medicamento somente será dado, sob orientação médica, aos pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas desde o início dos sintomas. Também requerem avaliação do médico para indicação de tratamento o chamado grupo de risco, composto por idosos, menores de 2 anos, gestantes, pacientes imunodeprimidos ou com doenças crônicas.

ATENÇÃO: Quem deve fazer o exame para saber se pegou a gripe?

A confirmação por exame laboratorial será feita somente nos casos graves ou em amostras, no caso de surtos localizados. Não serão mais realizados exames em todas as pessoas com sintomas de gripe.

É preciso usar máscaras?

Não. O uso de máscaras é indicado somente para profissionais de saúde que estejam lidando com a Influenza A e outros tipos de virose.

O que eu devo fazer se tiver dúvida sobre ter contraído a Influenza A/H1N1?

Para proteger as pessoas próximas: Cubra sempre o nariz e a boca quando espirrar ou tossir - Lave as mãos com frequência com água e sabão porque você pode ter tocado uma superfície que contenha saliva de uma pessoa infectada e ao levar as mãos à boca ou olhos pode se infectar. - Sempre que possível evite aglomerações ou locais pouco arejados. - Mantenha uma boa alimentação e hábitos saudáveis.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Assim como pão integral, veja 11 alimentos que engordam e parecem ser lights


Refrigerante light, granola e iogurte grego estão na lista de comidas que fingem se 
saudáveis e parceiras da dieta, mas na realidade são bombas calóricas; médica explica 

Com o excesso de informação que existe hoje em dia sobre regimes, muitas vezes nos confundimos sobre o que é realmente light e emagrece. Há muitos alimentos que fingem ser parceiros da dieta, mas, na realidade, são verdadeiras bombas calóricas ou não ajudam em nada a perder medidas. 

Em entrevista à CARAS Digital, Dra. Alice Amaral, médica especialista em Nutrologia e Medicina do Exercício e Esporte pela Associação Médica brasileira, revelou quais são os 11 alimentos mais famosos que fingem ser “lights” mas que engordam; confira 

1) Adoçantes artificiais (produtos light) 
"Há estudos recentes que comprovam que o consumo de adoçantes artificiais está diretamente ligado à obesidade. Um desses estudos, realizado pelo Instituto Weizmann, de Israel, e publicado na revista Nature, afirma que o consumo desses aditivos provoca intolerância à glicose, uma fase prévia à diabetes na qual há uma maior concentração de açúcar no sangue, e alterações no metabolismo relacionadas com obesidade. Já o New England, publicou em 2012, um estudo bastante documentado, associando o consumo de bebidas adoçadas artificialmente à obesidade. Em 2013, a revisão desse estudo confirmou o que já se sabia. Portanto, todos os alimentos que contenham esses aditivos (refrigerantes, sucos, biscoitos, pães, bolos, doces etc), ao contrário do que se pensa, causam obesidade". 

2) Refrigerante light 
"Além de serem extremamente maléficos à saúde, os refrigerantes light contêm adoçantes artificiais que, como já dito anteriormente, causam aumento de peso, além de retenção líquida e aumento da pressão arterial". 

3) Pão com glúten integral 
"Devido a um processo inflamatório que o glúten causa ao atacar as paredes do intestino delgado, a absorção de nutrientes fica mais difícil. Se esse alimento com glúten ainda vier acompanhado de fibras, a absorção do alimento se torna mais lenta e as consequências são abdômen estufado, aumento da gordura na região abdominal e obesidade". 

4) Margarina 
"Propagada como uma ótima opção para quem tem colesterol alto, na verdade, a margarina é extremamente calórica, além de ser riquíssima em gorduras trans, que causam não só obesidade, mas também arteriosclerose". 

5) Leite desnatado 
"O leite desnatado vendido em caixinha/saquinho além de só conter 30% menos calorias que o leite comum ainda contém água sanitária, soda cáustica, formol, bicarbonato sódico, hormônios esteroides e antibióticos. Essa mistura branca que vai para sua mesa todos os dias com aparência de saúde, pode causar, além de obesidade, mal de Alzheimer, Parkinson, câncer, alergias respiratórias e cutâneas". A melhor opção são os leites vegetais como, de arroz, macadâmia, coco e castanhas. 

6) Granola comum e diet/light 
"Além de conter glúten e açúcar ou adoçante artificial em sua composição, a granola é altamente calórica". 

7) Iogurte grego comum e light 
"O iogurte em si já não é um alimento recomendado por causa do leite. O iogurte grego, nova moda entre as pessoas que estão fazendo dieta, é a ltamente mais calórico que a versão comum. E, a versão do iogurte grego light possui adoçantes artificiais." 

8) Barras de cereal 
"Além da maioria delas conter glúten, açúcar e/ou adoçante artificial em abundância, as famosas barrinhas de cereal são uma verdadeira bomba calórica e quase não possuem as fibras prometidas". 

9) Suco de caixinha comum e light 
"Você já parou para ler os ingredientes de um suco de caixinha? Eles quase não contêm fruta, além de conter muito açúcar/adoçante artificial e edulcorante, emulsificantes etc. Prefira sempre a fruta in natura. Mesmo os sucos naturais contêm muita frutose, o que pode ocasionar uma sobrecarga da glicose". 

10) Queijo minas 
"Engana-se quem pensa que consumir queijo minas ou queijo branco está livre de acumular gordurinhas e fazendo um bem à sua saúde. Além de ser um derivado do leite, que pode causar alergias cutâneas e respiratórias, o queijo minas/branco é calórico (cerca de 66 kcal em 30g) e rico em gorduras." 

11) Comida Japonesa 
"Febre entre os brasileiros, a comida japonesa passa uma ideia de ser super saudável e light. Mas não é bem assim que funciona. Apesar de alguns pratos conterem menos calorias que outros alimentos, geralmente vêm associados ao shoyo que, além de ser extremamente rico em sódio (causa retenção líquida e aumento da pressão arterial), algumas marcas, também contém glúten. E outro grande problema, é que nunca se come um sushi. O excesso também causa aumento de peso. 


Fonte: por email

terça-feira, 5 de maio de 2015

5º Encontro de Motociclistas - Habeas Corpus Motoclube Cajati - dia 16 de maio


1º Encontro de Motociclistas de Cananéia - SP Dia 23/05 -


Cientista incrédulo estudou 37 anos o Santo Sudário e hoje tem certeza: é autêntico!!!! Eu não teria feito o estudo pois acredito e tenho fé...



Barrie Schwortz: o descrente especialista em fotografia que se rendeu à evidência: o Santo Sudário é autêntico!

Barrie Schwortz é uma das maiores autoridades mundiais sobre o Santo Sudário. Como técnico em fotografia, ele participou no primeiro grande exame em profundidade dessa preciosa relíquia em 1978, na equipe do famoso Shroud of Turin Research Project (STRUP). 

O STRUP inaugurou uma longa série de análises e aprofundamentos do ponto de vista das mais variadas ciências, que revelou – aliás, continua revelando – detalhes surpreendentes e nunca antes imaginados sobre o Homem do Sudário.

A convergência dos resultados dessa imensa série de exames é tão espantosa que ficou muito difícil negar que o Homem do Sudário não seja outro que Nosso Senhor Jesus Cristo.

Barrie Schwortz é um hebreu não praticante que aceitou com relutância participar do STRUP. Ele estava plenamente convencido de que o Santo Sudário era alguma fraude montada na Idade Média.


Exposição extraordinária do Santo Sudário começou no dia 19 de abril e vai durar até 24 de junho de 2015.
Mas após muitos anos de pesquisa e reflexão, passou a acreditar em sua autenticidade.

Preocupado com a informação imprópria veiculada pela mídia sobre o Sudário de Turim, ele criou um site onde difunde a verdadeira história da relíquia e os resultados dos testes de que ela vem sendo objeto.

Barrie Schwortz concedeu uma entrevista com valiosas informações ao Catholic World Report (CWR). Reproduzimos alguns excertos:


CWR: quais são alguns dos argumentos mais impressionantes em favor da autenticidade do Sudário?


Barrie Schwortz:

“Durante mais de 17 anos eu me recusei a aceitar que o Santo Sudário fosse autêntico”.

“Não é que uma só evidência prova a autenticidade do Sudário. Mas todo o conjunto das evidências sim,
prova isso”.


“A explicação mais plausível é de que o Sudário foi usado para envolver o corpo de Jesus”.

“O Sudário é, literalmente, um documento da Paixão e da tortura que Jesus sofreu”.

Barrie Schwortz: Há 37 anos, quando fui à Itália com a equipe do STRUP, eu achava que era algo falso, algum tipo de pintura medieval. Mas após apenas 10 minutos de análise, percebi que não era uma pintura.


Enquanto fotógrafo profissional, fui procurar as pinceladas. Mas não havia tinta nem pinceladas!

Durante mais de 17 anos eu me recusei a aceitar que o Santo Sudário fosse autêntico. O argumento que me fez mudar de ideia está relacionado com o sangue.

O sangue no Sudário é avermelhado. Porém, o sangue num pano de roupa, em poucas horas fica marrom ou preto. 

Eu conversei pelo telefone com Alan Adler, um químico especialista em sangue, e manifestei-lhe minhas reservas. Ele ficou chocado e perguntou: “Mas você não leu o meu estudo?” 

Ele havia detectado uma alta proporção de bilirrubina no Sudário, fato que explica por que o sangue ficou vermelho.

Se um homem é ferido e não bebe água, seu fígado começa a produzir bilirrubina. Isso faz com que o sangue fique vermelho para sempre.

Para mim foi como achar a última peça do quebra-cabeça. 
Eu não tinha mais argumentos contra. 


Para Schwortz é 'um documento da Paixão e da tortura que Jesus sofreu'. Foto da exposição 'O homem do Sudário', Curitiba
Para Schwortz é 'um documento da Paixão e da tortura que Jesus sofreu'.
Foto da exposição 'O homem do Sudário', Curitiba



Essa foi a evidência final que me convenceu. Não é que uma só evidência prova a autenticidade do Sudário. Mas todo o conjunto das evidências sim, prova isso. 


Um dos meus testemunhos favoritos em favor da autenticidade do Sudário é de minha mãe, que é judia. Ela veio da Polônia e só estudou na escola. Ela assistiu a uma de minhas palestras. Depois, voltando de carro para casa, após ficar em silêncio um longo tempo, eu lhe perguntei:

– Mãe, no que está pensando? 

Ela respondeu:

– Barrie, é evidente que é autêntico. Eles não o teriam conservado durante 2.000 anos se não fosse. 

Pela lei judia, um sudário manchado de sangue devia ser mantido no túmulo. Tirando-o dali, você de fato assumiria o risco de violar a lei.

Mais sobre o SANTO SUDÁRIO


Para mim, a explicação mais plausível sobre o Sudário, do ponto de vista da ciência e de meus fundamentos pessoais judeus, é de que o pano foi usado para envolver o corpo de Jesus.


CWR: Quais são algumas das falsidades mais comuns que se falam do Sudário?



Schwortz: Tomaria horas compor essa lista. Parece existir uma cacofonia constante de insensatez funcionando contra o Sudário. 


CWR: O que é que fala o Sudário sobre os sofrimentos físicos de Cristo?



Schwortz: Ele é, literalmente, um documento da Paixão e da tortura que Jesus sofreu. 

Seu rosto foi duramente golpeado, está inchado sobretudo em volta dos olhos.

Eu sou fã de boxe profissional. A imagem do Sudário me lembra de um boxeador que perdeu a luta.

O homem foi severamente açoitado. Isso se observa não só nas feridas nas costas, mas podem-se ver as tiras de couro que o atingiram, envolvendo o corpo, e que bateram pela frente também. 

De um ponto de vista forense, a imagem do Sudário fala mais do que as representações comuns que vemos na arte.

Ele tem um ferimento de lança no lado. Suas pernas não estão quebradas, como era geralmente o caso quando os homens eram crucificados.

Sua cabeça e o couro cabeludo estão cobertos de feridas. 

Mais uma vez: na arte muitas vezes vemos a coroa de espinhos como se fosse um pequeno círculo que se assemelha a folhas de louro em torno da cabeça de Cristo. Mas isso não é realista.

Os soldados na verdade puseram um espinheiro sobre sua cabeça e o esmagaram sobre ela.

Vemos a parte externa de uma mão, indicando que os pregos não foram cravados pelo centro da palma da mão, mas uma polegada mais perto do pulso.

Isso faz sentido para um soldado romano crucificando 20 ou mais pessoas ao mesmo tempo. É o lugar perfeito para se colocar um prego que vai segurar, e então você pode passar para a sua próxima vítima.

Em relação aos pés, é impossível para nós julgar se foi usado um único prego para ambos os pés, ou se foi usado um em cada pé.

Nós temos os restos reais de duas vítimas da crucifixão, e nesses casos foram usados dois pregos, um em cada pé.

Barrie Schwortz narra sua experiência com o Santo Sudário e como mudou de opinião em favor da autenticidade da sagrada mortalha: